Passeio de Trem de Curitiba a Morretes

O passeio de trem de Curitiba a Morretes foi, na minha opinião, o ponto alto da viagem. A princípio não havia pensado em fazer, mas fui por indicação de um amigo meu que fez e adorou. Esse passeio foi eleito em diversos lugares como um dos melhores passeios de trem do mundo e eu não podia deixar de conhecer. Interessante mencionar que, diferente do passeio de trem de Campos de Jordão (veja nosso post), em que o trem sobe a serra, nesse passeio o trem sai de Curitiba – 934 metros acima do mar – e desce até o litoral (Morretes) por dentro da Mata Atlântica no tempo estimado de 3 horas. O retorno é de Van.

trem-curitiba-morretes trem-curitiba-morretes-2

estrada de ferro foi construída na época do império de D. Pedro II, diante da necessidade de ligação de Curitiba ao Porto de Paranaguá, para o desenvolvimento econômico da então província do Paraná. Inaugurada em 2 de fevereiro de 1885, ainda é considerada uma obra prima da engenharia até para os padrões atuais. Os trilhos da ferrovia rasgam a Serra do Mar por meio de túneis abertos no coração da rocha, pontes que parecem flutuar no vazio e curvas sobre penhascos que desafiam os espíritos mais corajosos.

O passeio de trem

No dia que fomos o tempo estava muito aberto e foi possível ver toda a paisagem com muita clareza, porém ouvi e li muitos relatos de pessoas que não conseguiram ver absolutamente nada devido a forte neblina. Imagino que o passeio de trem em dia de neblina seja bem desinteressante, portanto a melhor época para fazê-lo é no inverno. Outra reclamação frequente é que podem ocorrer longas paradas durante o passeio para dar prioridade aos trens de carga (que é a principal atividade da ferrovia), podendo alongar a viagem em até cerca de 5 horas.

trem-curitiba-morretes-6 trem-curitiba-morretes-cachoeira-veu-da-noiva trem-curitiba-morretes-10

A concessionária responsável pela ferrovia é a ALL (América Latina Logística), mas a Serra Verde Express é a empresa responsável por explorar a parte de transporte de passageiros da Ferrovia. O passeio começa na estação Rodoferroviária de Curitiba e termina na cidade de Morretes. Durante as 3 horas de passeio, em cada vagão, há um guia explicando a história da ferrovia e mostrando alguns pontos importantes, tais como a Cascata Véu da Noiva, o Viaduto do Carvalho e a Ponte São João.

trem-curitiba-morretes-9

Olhem atentamente onde nosso trem passou

trem-curitiba-morretes-8 trem-curitiba-morretes-3

O trem possui até 21 carros e pode transportar até 1100 passageiros diariamente.

O trem parte de Curitiba, rumo a Morretes, por volta das 08:15 AM e existem diversos pacotes que a operadora oferece. Eu escolhi o pacote “Morretes Antonina – Classe turística” que inclui:

  • Traslado Hotel ou Residência até a Estação de Trem
  • Viagem de Trem Trecho Curitiba/Morretes
  • Almoço Típico com Barreado
  • Tour em Morretes e Antonina
  • Retorno rodoviário pela Estrada da Graciosa
  • Guia de Turismo Especializado.
  • Chegada em Curitiba prevista para às 17h30.
trem-curitiba-morretes-7

Operários da ALL na Manutenção da Via Férrea

Informações, tipos de pacotes e valores podem ser vistos no site da Serra Verde Express.

Cidade de Antonina

Após chegar na estação de Morretes, uma van está esperando para nos levar até a pequena cidade de Antonina para um pequeno tour e almoço -incluso, sem bebidas – do famoso prato típico barreado. Eu gostei do prato. É bem rústico e um pouco pesado, mas fiquei sem fome até a noite. rs

antonina antonina-5 antonina-4 antonina-barreado

O prato consiste em um ou mais tipos de carne bovina de segunda e magra, como a paleta, a maminha e o patinho, temperados com cebola, alho, toucinho de porco, pimenta-do-reino, louro e cominho e cozida até desmanchar. O preparo é misturado à farinha de mandioca (até receber a consistência que dá nome ao prato), e servida com arroz e banana-da-terra fatiada. Fonte: Wikipédia

antonina-3 antonina-2

A cidade histórica de Antonina é bem pequena, charmosa e possui menos de 20 mil habitantes. Ah! Só há um semáforo na cidade.  Os guias marcam um ponto e te deixam a vontade para conhecer a igreja, a praça principal e tirar fotos.

Cidade de Morretes

Após o almoço em Antonina, a van nos leva de volta a Morretes e o guia faz algumas breves explicações da cidade, nos deixando a vontade para mais fotos e um reconhecimento a pé da cidade. Há uma feirinha de artesanato e doces típicos, muito colorido, uma ponte charmosa, igreja e coretos. No último censo, em 2010, a cidade possuía menos de 16 mil habitantes.

morretes morretes-3 morretes-2 morretes-1

Estrada da Graciosa

A volta a Curitiba é feita de Van e segue pela estrada da Graciosa – se o tempo permitir. A estrada é muito conhecida por ser uma das rodovias mais lindas do Brasil e por atravessar um dos trechos mais preservados de mata atlântica do país. A estrada possui 40 km de extensão, sendo 33 deles em paralelepípedos e com muitas curvas sinuosas. Recomenda-se ir bem devagar devido às curvas e para poder apreciar a linda paisagem que a envolve.estrada-graciosa

Na estrada, ainda é possível encontrar diversas churrasqueiras, mirantes e até banheiros públicos. O curitibano frequenta essas churrasqueiras e utiliza bem esse espaço como área de lazer. Alugar um carro e fazer esse passeio deve ser uma atividade muito divertida – quem sabe na próxima. Ouvi dizer que aos fins de semana é bom ir cedo se quiser usar as churrasqueiras, mesmo na baixa temporada.

estrada-graciosa-3

estrada-graciosa-2

A Van da Serra Verde te deixa de volta no hotel, após um dia maravilhoso e cheio de atividades e paisagens inesquecíveis. Voltei renovado.

Espero que tenham gostado de mais esse post de Curitiba e não deixem de ver o Curitiba em 4 dias. Ah! não esqueçam de assinar o blog para receber os novos posts do Sempre na Viagem.

Follow us

Bruno Oliveira

Blogueiro em Sempre na Viagem
Carioca, servidor público, amante de viagens e corredor amador. Fascinado por fotografia e por conhecer novos lugares. Blogueiro e, a cada dia, mais ansioso por viver e viajar, é claro.
Follow us

6 comentários

  • quanto custou esse roteiro no total?

    • Olá Sabrina,

      Você deve estar se referindo ao roteiro da viagem né? Eu não fiz as contas, mas tudo varia a depender do hotel, refeições e como irá se locomover. É bem fácil pesquisar isso com a internet.

      Grande Abraço,
      Bruno.

  • vera regina manica

    oi ja fiz esse passeio….recomendo,e realmente o lado esquerdo e o melhor.

  • Já morei em Curitiba por muitos anos mas nunca tive a oportunidade de fazer esse passeio, uma pena, já que parece muito incrível e sonho em viajar de trem. Amei o relato! Com certeza esse passeio está na lista de “coisas a fazer” hehe.

  • Tenho lido muito sobre esse passeio e vejo as pessoas dizendo que o melhor lado pra sentar é o esquerdo (caso vá de trem para Morretes), procede???

    • Olá Pitty,

      Realmente procede a informação. O melhor lado é o esquerdo. Acontece que, infelizmente, não é possível escolher o lado na hora de comprar a passagem, pois a locomotiva pode estar virada tanto para um lado quanto para o outro lado na hora do trem partir. Eu dei sorte e fiquei no lado esquerdo.

      Abraços e bom passeio.
      Bruno.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *