Santiago do Chile

Enfim férias (jan-2015), ano novo, e para quem gosta, partamos para mais uma viagem. Dessa vez, o destino escolhido foi Santiago (Chile), e os motivos que levaram a essa escolha foram o câmbio relativamente favorável e o desejo antigo de conhecer o país – que acredito ser o mais desenvolvido da América Latina.

Farei uma série de posts, provavelmente quatro ou cinco para tentar explorar e explicar as coisas que achei mais legais e dar algumas dicas para quem pretende conhecer o país. Responderei todos os comentários com as dúvidas.

Vista do Avião - Cordilheira dos Andes

Vista do Avião – Cordilheira dos Andes

Engana-se quem pensa que estava frio. Essa é a Cordilheira dos Andes e esse gelo não derrete nem no verão – dizem que no inverno só se vê neve. A cidade de Santiago, nessa época do ano, é tão quente quanto a do Rio de Janeiro.

Nessa viagem o objetivo foi ficar o mais próximo possível dos locais, pegando ônibus, metrô e se hospedando em uma espécie de apart hotel. Não peguei táxi nenhuma vez durante todo o período em que estive por lá. Até mesmo do aeroporto para o hotel, eu fui de transporte público – por sinal, funciona bem melhor que aqui. Não falarei sobre os deslocamentos entre os lugares para não me alongar muito nos posts. Somente houve necessidade de aluguel de carro por dois dias, pois não compensava ir de outra forma.

Fiz uma viagem com um roteiro um pouco diferente de muitos outros que vejo por aí, conheci lugares não tão visitados e fui a outros que são “pega-turistas” obrigatórios.

Roteiro

Antes de viajar, eu fiz um roteiro detalhado com o que eu queria visitar, separando as atividades por dia. É importante mencionar para os viajantes menos experientes que não se deve fazer roteiros taxativos, mas, sim, criá-los de forma que se possa trocar a ordem dos dias, pois, infelizmente, não temos como prever o tempo nem outros problemas que possam ocorrer quando estivermos viajando.

É imprescindível que se verifique quais museus, atividades e locais públicos que não abrem em determinados dias e horários, para evitar aquele sentimento de frustração por não conhecer um lugar e não saber mais o que fazer naquele dia.

Os dias de chegada e de partida também devem ser planejados cuidadosamente, pois normalmente são incompletos, mas nada impede de fazer alguma coisa no tempo que sobra.

Vejam como fiz:

Dia 02/01 (Sexta) – Cheguei ao aeroporto de Santiago às 13:45 e fiz o check-in no hotel por volta das 16:15. Daí deixei as malas no hotel e fui conhecer o Cerro Santa Lucia (praticamente ao lado do Hotel). Então, peguei o metrô e me dirigi ao Shopping Costanera, aproveitando para ir no Hard Rock Café, já que no Rio de Janeiro eles fecharam a filial.

Dia 03/01 (Sábado) – Visita à Vinícola Undurraga, passeio pelo centro histórico de Santiago, incluindo uma visita completa ao Museo de Arte Precolombino.

Dia 04/01 (Domingo) – Passeio de dia inteiro na Cidade Fantasma de Sewell.

Dia 05/01 (Segunda) – Ida à cidade Viña del Mar, Val Paraiso e vinícola Casas Del Bosque.

Dia 06/01 (Terça) – Passeio de dia inteiro ao Monumento Natural El Morado em Cajón del Maipo

Dia 07/01 (Quarta) – Café da manhã, compra de lembranças de viagem e retorno ao Brasil à tarde.

Esse é o roteiro resumido e publicarei posts sobre cada parte importante da viagem. Gostaria de dizer que os seis dias foram suficientes, mas não foram, o ideal seriam ao menos oito dias.

Durante os posts vou colocando algumas informações pertinentes sobre o povo, costumes, transporte e etc.

Cerro Santa Lucia

A cidade de Santiago possui alguns cerros que são nada mais que “morros” nos quais podemos ter uma ótima vista da cidade e sempre possui alguma atração. Por exemplo, se o Corcovado fosse em Santiago, eles chamariam de Cerro do Corcovado.

Cerro Santa Lucia

Cerro Santa Lucia

Cerro Santa Lucia

O Cerro Santa Lucia ficava praticamente colado ao hotel, essa foi a razão por eu ter escolhido visitá-lo logo no primeiro dia de viagem, no final da tarde – há controvérsias sobre o horário do final da tarde em Santiago, mas depois falo disso.

Ele é enorme, possui diversas construções antigas e entrada por várias avenidas, muita área verde e fica próximo à várias estações de metrô. É interessante que a cordilheira circunda toda a cidade e você pode vê-la de praticamente qualquer lugar que estiver.

Deixei as malas no hotel e fui a pé para conhecer o lugar.

Cerro Santa Lucia

Cerro Santa LuciaHá um post completo no blog Meus Roteiros de Viagem dedicado ao Cerro Santa Lucia.

Shopping Costanera Center

Esse shopping (http://www.costaneracenter.cl/) fica localizado no maior arranha céu de Santiago. Ele ocupa os primeiros seis andares e é muito imponente. Possui diversas marcas de grifes internacionalmente famosas, porém os preços são bem elevados. O mais interessante é que o shopping é dividido por seções: serviços, presentes, mulher, homens e infantil, esporte, alimentação e cinema.

Costanera Shopping

Como não sou muito fã de shopping center, fui só mesmo para conhecer – aproveitar o final da tarde – e ir comer um big sanduíche no Hard Rock Café que também fica localizado no mesmo shopping.

Hard Rock Santiago

Hard Rock Santiago

Saí do shopping, ainda no final da tarde, e voltei ao hotel para descansar.

Explicando melhor: até às 21:00 ainda está claro em Santiago, no verão. Assim, essa condição é favorável a conhecer diversos lugares a céu aberto até tarde. É estranho quando você decide ir dormir cedo para poder acordar cedo no dia seguinte. Parece que está indo dormir à tarde, mas já é noite.

Espero que tenham gostado do post. Aproveitem para assinar o blog e receber todas as atualizações por email.

Visite-nos no Google+

Follow us

Bruno Oliveira

Blogueiro em Sempre na Viagem
Carioca, servidor público, amante de viagens e corredor amador. Fascinado por fotografia e por conhecer novos lugares. Blogueiro e, a cada dia, mais ansioso por viver e viajar, é claro.
Follow us

3 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *