Florianópolis – SC (Hotel e Cidade)

Hospedagem

Em Florianópolis há diversas opções de hospedagem que vão desde pousadas – próximas a diversas praias – a hotéis no centro da cidade. Tem para todos os gostos e bolsos. Indico, como sempre, a pesquisa no site booking.com.

A grande vantagem de ficar hospedado nas pousadas é que não é necessário sair de carro para curtir a praia próxima ao local em que esteja hospedado, porém dificilmente você irá querer ficar limitado a somente uma praia durante sua estadia na ilha havendo dezenas delas na ilha para você explorar. Caso a viagem seja em família ou com grupo grande de amigos, entendo que a opção de uma pousada próxima à alguma de suas praias seja a melhor opção já que a logística de locomoção fica mais difícil.

Como eu já havia falado no outro post, essa foi a minha segunda vez na ilha de Floripa e resolvi ficar em um hotel na região central para ter mais mobilidade entre a região norte e sul da ilha.

Não leu o primeiro post? Leia Aqui.

Escolhi como opção o Hotel Porto da Ilha que é um 4 estrelas, com perfil mais executivo e serviço excelente. O quarto é super confortável e com a melhor cama que eu já dormi. Possui TV LCD, Wifi e conta com um excelente café da manhã, entre outras amenidades. Esse hotel possui aprovação de 92% no trip advisor. O estacionamento é cobrado a parte por dia de utilização e conta com serviço eficiente de manobrista.

Fachada - Hotel Porto da Ilha

Fachada – Hotel Porto da Ilha

Café da Manhã - Hotel Porto da Ilha

Café da Manhã – Hotel Porto da Ilha

Tour a pé pelo centro da cidade e orla, com algumas algumas fotos

Essa viagem foi feita antes da ideia da construção desse Blog, então não me atentei para muitos detalhes, tampouco fiz um diário durante a viagem e por essa razão não me lembro de todas as praias e lugares que visitei. Estou escrevendo esses posts pelas lembranças que as fotos me trazem. Prometo que as próximas viagens terão posts mais detalhados.

Resolvi pegar um daqueles milhares de mapas turísticos que distribuem nos hotéis e fazer um passeio a pé pelo centro da cidade para conhecer alguns dos pontos turísticos, bem como a estrutura da cidade. Desculpem pelas poucas fotos.

Beiramar Norte - Calçadão

Beira Mar Norte – Calçadão

Beiramar Norte - Calçadão

Beira Mar Norte – Calçadão

Trata-se de uma avenida que corre junto ao mar, construída sobre um aterro, na década de 1960. O nome oficial é Avenida Jornalista Rubens de Arruda Ramos e possui 7 quilômetros de extensão. É praticamente um passeio obrigatório caminhar por sua ciclovia / calçadão e tirar várias fotos.  Fica localizada entre a parte inferior da Ponte Hercílio Luz e o viaduto de acesso ao Norte da Ilha.

Eu que sou corredor de carteirinha aproveitei para fazer uma corridinha de 8 km em um dos dias que passei na cidade.

Ponte Hercílio Luz

Ponte Hercílio Luz

A Ponte Hercílio Luz é “O” cartão postal de Florianópolis e foi inaugurada em 1926, até então a única forma dos moradores da ilha irem para o continente era através de balsas. Ela encontra-se desativada desde 1982 e há projetos para sua reativação que nunca foram concluídos.

Coreto Maestro Hélio Teixeira da Rosa

Coreto Maestro Hélio Teixeira da Rosa

Catedral Metropolitana - Igreja Matriz de Florianópolis

Catedral Metropolitana – Igreja Matriz de Florianópolis

Essa igreja destaca-se por ser uma construção antiga (1908) e estar localizada entre diversos prédios modernos. A edificação é tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Infelizmente no dia que visitei ela estava fechada.

Figueira Centenária

Figueira Centenária

Essa árvore fica localizada na Praça XV de Novembro e traz consigo superstições, como a de contorná-la várias vezes para atrair casamento e fortuna. Eu paguei o mico e contornei a árvore sete vezes – ainda estou esperando o casamento e a fortuna…rs

Mercado Municipal - Box 32

Mercado Municipal – Box 32

Havia lido diversos comentários sobre o pastel de camarão que é servido nesse restaurante que fica dentro do Mercado Municipal de Florianópolis. Realmente foi o melhor pastel de camarão que já comi. O Box 32 está sempre cheio e não é tão fácil arrumar uma mesa para sentar. Fora esse restaurante, não vi nenhum outro grande atrativo no Mercado Municipal para os turistas.

Ficou faltando somente contar sobre algumas praias e o nosso passeio de balsa até à Ilha paradisíaca do Campeche. No último post eu falarei sobre isso. Espero que tenham curtido!

Visite-nos no Google+

Follow us

Bruno Oliveira

Blogueiro em Sempre na Viagem
Carioca, servidor público, amante de viagens e corredor amador. Fascinado por fotografia e por conhecer novos lugares. Blogueiro e, a cada dia, mais ansioso por viver e viajar, é claro.
Follow us

2 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *